A 15ª Mostra de Teatro do Amazonas contou com 3 convidados na curadoria

Por
Daniele Avila
Monique Cardoso
Márcio Braz

Carta às atrizes, atores, diretoras, diretores, público…gente de teatro!

A curadoria da XV Mostra de Teatro do Amazonas formada por Monique Cardoso, Daniele Avila Smal e Márcio Braz gostaria, primeiramente, de agradecer à Federação de Teatro do Amazonas pelo convite em participar de tão prestigiado evento do Estado do Amazonas, assim como significativo para a cultura brasileira. Uma mostra de teatro que sobrevive às intempéries e mal humor político de um Brasil em retrocesso só acende a esperança de que muito em breve a cultura nacional voltará a ter o interesse que merece.

Os espetáculos inscritos nos deram uma boa percepção da produção teatral amazonense onde nos foi possível identificar categorias que vão dos trabalhos envoltos com o chamado biodrama, passando pela cultura popular e pelo circo, autores clássicos como Brecht, sem contar a relevância dos temas abordados.

Ainda que muitos tivessem dificuldade em manipular equipamentos audiovisuais dificultando parcialmente a comunicação, tais detalhes não obliteraram a curadoria, pois a percepção do fenômeno teatral nos foi possível identificar, sentir e analisar, com o respeito que todes as/os colegas artistas merecem.

De todo modo, foi uma escolha difícil, afinal, toda tentativa de classificação é sempre arbitrária e conjetural. No entanto, temos a certeza de que as plateias serão, de um modo ou de outro, atravessadas pelo conjunto estético apresentado.

Desejamos a todes uma excelente Mostra, um abraço cheio de afeto e merda às/aos teatreires.

A 15ª Mostra de Teatro do Amazonas é uma realização da Federação de Teatro do Amazonas (FETAM), com apoio cultural do Governo do Amazonas, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e realizado com recursos do edital Amazonas Cultura em Rede.

Acompanhe a programação em nossa agenda e em nossas redes sociais.

Daniele Avila Small (Rio de Janeiro, 1976) é crítica, pesquisadora e curadora de teatro. Doutora em Artes Cênicas pela UNIRIO, é idealizadora e editora da revista Questão de Crítica. Em 2017, dirigiu Há mais futuro que passado – um documentário de ficção. Foi curadora dos Olhares Críticos, eixo reflexivo da MITsp entre 2018 e 2020, dentre outros projetos de formação, teoria e crítica de teatro desde 2011, como as edições do Encontro Questão de Crítica, do IDIOMAS – Fórum Ibero-Americano de Crítica de Teatro e da Complexo Sul – Plataforma de Intercâmbio Internacional. Integrou também as equipes de curadoria do FIT BH 2018 no projeto Corpos Dialetos, da 6ª edição da Janela de Dramaturgia (CCBB-BH) e da seleção local do FIAC – Festival Internacional de Artes Cênicas da Bahia. Em 2020, foi uma das curadoras da Mostra Temática da 14ª CineBH, dedicada ao teatro online.

Monique Cardoso Mulher, nordestina, artista, pesquisadora, produtora e gestora cultural. Doutoranda em Artes da Cena pelo Programa de Pós Graduação em Artes da Cena/UNICAMP. Mestra em Artes pelo Programa de Pós Graduação em Artes da UFC – Universidade Federal do Ceará. Graduada em Marketing, com especialização em Gestão Cultural. Diretora da ATO Marketing Cultural e do FAC – Festival das Artes Cênicas – CENA CEARÁ. Atua no núcleo gestor do Ponto de Cultura Casa Ninho e como artista integra o Grupo Ninho e a MANADA Teatro.

Márcio Braz é ator, diretor, cientista Social e especialista em Gestão e Políticas Culturais, mestre em Ciências Humanas (Teoria, História e Crítica da Cultura). Também atua como crítico, pesquisador e iluminador. Foi parecerista de projetos culturais atuando em diversas comissões de avaliação em vários editais no Brasi

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content